quarta-feira, 16 de março de 2011

DESAFIO



Essa é uma  mostra da minha intimidade,  meu  atelier! -Um pequeno e improvisado lugar no qual trabalhei por várias horas nos últimos dias, na tentativa de pintar uma tela para uma querida amiga, mas depois de duas telas inacabadas por não ter conseguido o resultado esperado, acabei por desistir. Gostaria de pintar girassois, sua flor predileta.
Isso me deixou incomodada porque tudo que artista precisa é sentir veracidade em seu trabalho, não tenho formação académica em Belas Artes, nem faço disso minha principal fonte de renda, mas dou lá minhas pinceladas de vez em quando, e geralmente consigo um bom resultado. Confesso que escrever, é para mim também muito difícil as vezes, mas o desafio da tela em branco, não fica muito atrás em termos de comparação.
Para  nós artistas, é por vezes uma tormenta pintar uma simples tela, diria que esse não conseguir é como uma armadura que nos reveste ao mesmo tempo que não nos protege do nosso querer.
Mas não penso ser esse um privilégio apenas do artista ou pintor, para mim em qualquer tarefa que requer criação é as vezes angustiante, pois quando simplesmente preciso fazer o meu trabalho, no qual tenho anos de experiência, acontece o bloqueio, aí dou uma parada, vou para outra tarefa e depois retomo o inacabado exatamente onde parei. E como num passe de mágica, acontece.
Mas desta vez eu não consegui colocar na tela pincelas que já conheço, repetindo apenas um processo habitual, e isso me fez parar para pensar entendendo que não é tão simples assim.
Foi como se o pincel não respondesse ao meu comando, me levando a entender o artista como um mensageiro ao exercer seu ofício, sendo a tormenta sua companheira neste processo de doação, pois precisa deixar  impressa sua essência em seu trabalho, não importa qual seja.
Sempre fui muito atrevida, e quando o assunto era desafio eu adorava, pintei telas muito mais elaboradas e que só me tomaram poucas horas de trabalho.
É claro que não vou desistir, mas quando pegar novamente o pincel diante de uma  tela em branco, terei   a consciência de que se trata de um  ato em que se é apenas um condutor, e não a libertação total que eu achava ser talento.
Na tela conseguimos deixar desabrochar uma profusão de cores, que ao seguir sua escala e  perspectiva, revela nosso trabalho, com a harmonia e a verdade, antes presa dentro de nós, clamando por soltar suas asas no espaço que as contém fora das linhas do desenho, pois é ali que se perde ou se faz acontecer.
Não importa qual seja o tema, nem se ele foge do seu estilo, porque quando ainda é  matéria prima a obra pede ao artista que deixe emanar seu existir, como uma canção de liberdade. E ao terminar,  tudo que o artista anseia, é ouvi-la cantar de todo coração;  e certamente não se contenta quando perde sua essência de coração ao não conseguir cantar-la.
Portanto,  agora prefiro não mais julgar ao artista por seu prazer ou sofrimento ao criar e executar sua obra, mas deixa-lo procurar, porque sem dúvidas eles encontrarão o prazer juntos.
Charmosa! A tentativa foi para você, e ao desenhar já a segunda tela, sozinha com meus pincéis,  ansiava pelo momento de chegar à sua casa com a tela e ver seu sorriso. Esse que só você sabe sorrir...rs, e agora apenas ouvirei você dizer: "Oh minha amiga! Não foi dessa vez, paciência..."
Fica registrado aqui meu descontentamento e incompreensão, mas também a certeza de ter ficado uma grande lição. Uma tela em branco é sempre um desafio!






10 comentários:

Dulce Braga disse...

Rosário, suas palavras descrevendo o tamanho de seu desejo de pintar para ela, certamente serão um valioso presente.

Mariana Lyra disse...

Eu adorei a foto! gostei do seu novo atelier, a foto tah tao bem consruida que eu acho que daria uma boa tela!!! :D

Saudade de vc mae, te amo!

Maria do Rosario disse...

Dulce,

É verdade, este BLOG tem estreitado laços e encurtado distâncias.

Obrigado,
Rosário

Maria do Rosario disse...

Mari,

Estou adquirindo prática também nas fotos... Mas você teve uma excelente ideia. Quem sabe!

Beijos, te amo.

Mamãe

DYDHA LYRA disse...

- realmente é um desafio a tela em branco, entretanto, pintar é preciso! digo sempre que a pintura é a caligrafia d'alma,a gente se retrata no que faz... e denuncia o estado de espírito do artista!é possível que estejas passando por um período de turbulencia... (faz com que se manifeste tb em sua arte),mas o desafio como vc reconhece reside na tela em branco, num outro momento vc conseguirá o que vc quer pintar, porque o que a vida se não um grande desafio!!!! talento não lhe falta!!!
Dydha Lyra.

Anônimo disse...

Rosarito,

Lembra do atelier de Maceió? - Você é muito talentosa, só está sem prática, afinal ficou muito tempo sem pintar...
Gostei desse cantinho que você criou, acho um charme!

Beijos...muitos

Maria do Rosario disse...

Dydha,

Quanto estudamos arte e o entendimento se faz, o nível de exigência cresce.
Mas ao longo desses anos tenho praticado o exercício da paciência através da arte. Achava que isso bastava.
Mas você me esclareceu um ponto importante, a gente se retrata em nossa arte.

Obrigado,
Rosário

Maria do Rosario disse...

E bem verdade que naquela época eu conseguia dominar o bem pincel. Mas como você diz, eu pintava sempre.
Pretendo agora ser mais aplicada.

Beijos (Anonima)
Rosário

Marta Jonas disse...

Minha querida amiga,
Me sinto presenteada, pela sua lembranca.
A primeira tela esta aqui, alegrando a vida!
Beijos
Marta

Maria do Rosario disse...

Carmosa,

Sei que minha tela te alegra, mas não me convence. Você é tão simples e ao mesmo tempo tão sofisticada, articulada e instruida. Sua sala comporta uma tela melhor;
Você é uma pessoa especialíssima.

PS. Gente a Marta Jonas é minha amiga Carmosa!!