terça-feira, 29 de maio de 2012

TRANSPLANTE



LUTO





Deveríamos ser como borboletas,
e ter a coragem de enfrentar
a metamorfose da vida,
para sermos livres.




Hoje perdi mas uma grande amiga irmã por falta de orgão para um transplante. Por ser a borboleta o símbolo do transplante é comum os transplantados usarem uma corrente de ouro com uma borboleta, ela tão confiante e otimista que era já havia comprado a sua, como planejava fazer uma tatuagem.

Fica em mim hoje essa magia da metamorfose como simbologia não apenas da beleza, mas como uma forma de pernamecer no outro através de um ato de doação.

Hoje aprendi mais uma lição: Se todos os portadores de doenças como Diabetes, Púrpura, Alergias, Hipertensão e tantas outras, fossem tatuados. muitas vidas poderiam ser salvas.
Se todas as pessoas fossem doadores de órgãos teríamos muita mais metamorfose!

PS. Isso não é uma campanha.




sexta-feira, 25 de maio de 2012

DIAS DE OUTONO





Ipê em Outono no Brasil



"Outono é outra primavera, cada folha uma flor."



quinta-feira, 24 de maio de 2012

PRECISO DE UM CAFÉ!




24 de maio é dia do café

Amigos, acabei de tomar um café!
Gostaria sinceramente de ter escrito bastante sobre o café hoje, mas tive um dia corrido.

Preciso de um café! é uma expressão que sempre uso e, meus amigos acham engraçado eu falar assim, mas me renova no fim do dia e acordar com o cheirinho do café me deixa muito feliz!

Fazer um café fresquinho quando recebo uma visita ou ir a casa de uma amiga querida num fim de tarde aos domingos, apenas para tomar um café é um conforto.

Hoje sabemos que o café traz mais de dez benefícios à saúde e o fato de nunca ter deixado de tomar, mesmo quando ele era considerado vilão me deixa segura.

Portanto quando estiverem com saudades, passem aqui no Blog para um cafezinho:))




 

terça-feira, 22 de maio de 2012

PRIMAVERA FESTIVAL




Festival de flores na Europa




    

CHELSEA FLOWER SHOW


A PRIMAVERA CHEGOU!



Nem sempre tudo são flores



Faz todo sentido relembrar nossa querida Cecília Meireles:


"Aprendi com as primaveras
a deixar-me cortar e a voltar sempre inteira."






domingo, 20 de maio de 2012

CHELSEA É O NOVO CAMPEÃO EUROPEU



Que vença o melhor?


"Que os vossos esforços desafiem as impossibilidades, lembrai-vos de que as grandes coisas do homem foram conquistadas do que parecia impossível."










sábado, 19 de maio de 2012

UMA VIAGEM POÉTICA



                                            



                                                     Ode a um Rouxinol



Meu coração dói, e um torpor aflige
Meus sentidos, como se ébrio de cicuta,
Ou sorvido algum vapor de ópio
Um minuto passou, e no Letes afunda:
Não é inveja de teu fado feliz,
Mas feliz em tua felicidade -
Tu, lúcida-alada Dríade no bosque,
Em tal melodiosa trama
De faia verde, e de sombras inúmeras,
Cantaste o Verão à plena garganta.

Ó fruto da vinha! Que repousas
Tanto tempo na profunda terra,
Degustar de flora e verdes campinas
Dança, canção provençal, e diversão,
Ó taça cheia do caloroso Sul,
Cheia de real e rubra Hippocrene,
Com espuma cintilante até a borda
E a manchar a boca de púrpura,
Que beberei, e deixar o mundo não-visto,
E contigo sumir na floresta sombria.

Afaste, dissolva, e esqueças tudo
O que entre as folhas jamais conheceste,
O tédio, a febre, a irritação
Aqui, onde os homens em gemidos mútuos
Onde o torpor abala tristes cãs,
Onde os jovens pálidos, débeis, morrem,
Onde pensar é ser cheio de mágoas
E desespero no olhar;
Onde a Beleza perde o olhar lustroso,
Ou o Amor gasta-se no dia seguinte.

Para longe! Eu desejo voar contigo,
Não guiado por Baco, e seus convivas,
Mas nas invisíveis asas da Poesia,
Mesmo que a mente se atrase confusa:
Estarei contigo! Suave é a noite!
E por sorte a Rainha-Lua no trono,
Cortejada por suas brilhantes Fadas;
Mas aqui lua não há
Salvo a brisa que desce do céu
Em penumbras e trilhas sinuosas.

Não posso ver flores aos meus pés,
Nem o incenso a flutuar sobre os ramos,
Mas, nas trevas suaves, aprecio cada um
Onde a bela estação oferece
A grama espessa, e a árvore silvestre;
O espinheiro-branco, e a flor pastoral;
Violetas a murcharem sob as folhas,
E o broto de plena Primavera,
O almíscar-rosa, de vilho orvalhado,
O zumbir de moscas em tardes de Verão.

Sombrio eu ouço; e por muito tempo
Meio atraído pela suave morte,
A chamei com nomes doces nas rimas,
Para arrebatar meu fôlego calmo;
Pois parece proveitoso morrer,
À noite, cessar tudo sem dor alguma,
Enquanto derramas toda a tua alma
Em semelhante êxtase!
Cantarias ainda, em vão, meus ouvidos
Ao teu nobre requiém viraram relva.

Não nasceste para morrer, ave eterna!
Gerações ávidas não te derrubam;
Ouço nesta noite a voz já ouvida
Outrora por imperador e curinga;
Talvez a mesma melodia na trilha
Ao triste coração de Rute, saudosa,
Ansiava o lar, em pranto, no exílio;
O mesmo a encantar outrora
Mágicas janelas, abertas à espuma
De mares bravios, em terras lendárias.

Desolado! as palavras ressoam
A levar-me de ti à minha solidão!
Adeus! A fantasia não ilude
Como dizem, ela, a falsa ninfa.
Adeus! Adeus! Teu queixoso hino finda
Além das campinas, além dos riachos,
Além das colinas, já sepulto
Nas clareiras do vale próximo;
Foi uma visão, ou um devaneio?
Foi-se a melodia: – acordei ou durmo?





quinta-feira, 17 de maio de 2012

A VERDADE SOBRE A BELEZA











BELEZA E VERDADE



Inviolada noiva de quietude e paz,
Filha do tempo lento e da muda harmonia,
Silvestre historiadora que em silêncio dás
Uma lição floral mais doce que a poesia:
Que lenda flor-franjada envolve tua imagem
De homens ou divindades, para sempre errantes.
Na Arcádia a percorrer o vale extenso e ermo?
Que deuses ou mortais? Que virgens vacilantes?
Que louca fuga? Que perseguição sem termo?
Que flautas ou tambores? Que êxtase selvagem?

A música seduz. Mas ainda é mais cara
Se não se ouve. Dai-nos, flautas, vosso tom;
Não para o ouvido. Dai-nos a canção mais rara,
O supremo saber da música sem som:
Jovem cantor, não há como parar a dança,
A flor não murcha, a árvore não se desnuda;
Amante afoito, se o teu beijo não alcança
A amada meta, não sou eu quem te lamente:
Se não chegas ao fim, ela também não muda,
É sempre jovem e a amarás eternamente.

Ah! folhagem feliz que nunca perde a cor
Das folhas e não teme a fuga da estação;
Ah! feliz melodista, pródigo cantor
Capaz de renovar para sempre a canção;
Ah! amor feliz! Mais que feliz! Feliz amante!
Para sempre a querer fruir, em pleno hausto,
Para sempre a estuar de vida palpitante,
Acima da paixão humana e sua lida
Que deixa o coração desconsolado e exausto,
A fronte incendiada e língua ressequida.

Quem são esses chegando para o sacrifício?
Para que verde altar o sacerdote impele
A rês a caminhar para o solene ofício,
De grinalda vestida a cetinosa pele?
Que aldeia à beira-mar ou junto da nascente
Ou no alto da colina foi despovoar
Nesta manhã de sol a piedosa gente?
Ah, pobre aldeia, só silêncio agora existe
Em tuas ruas, e ninguém virá contar
Por que razão estás abandonada e triste.

Ática forma! Altivo porte! em tua trama
Homens de mármore e mulheres emolduras
Como galhos de floresta e palmilhada grama:
Tu, forma silenciosa, a mente nos torturas
Tal como a eternidade: Fria Pastoral!
Quando a idade apagar toda a atual grandeza,
Tu ficarás, em meio às dores dos demais,
Amiga, a redizer o dístico imortal:
"A beleza é a verdade, a verdade a beleza"
— É tudo o que há para saber, e nada mais.




segunda-feira, 14 de maio de 2012

EXÓTICAS



O QUE CHAMOU MINHA  ATENÇÃO NESTAS FLORES FOI A QUASE AUSÊNCIA DE COR.






 E A COR CINZA PREDOMINA, PERMITINDO APENAS NUANCES EM OUTROS TONS.




 


 OBSERVEM QUE O VERDE DAS FOLHAS É PRESERVADO, ACRESCENTANDO O REALCE DAS FLORES.







 ASSIM COMO O VERMELHO DAS FOLHAS DESSA BROMÉLIA QUASE TRANSPARENTE!




PS. Fotografias By Rosário Lyra (Honolulu Hawaii)








quinta-feira, 10 de maio de 2012

RECEITAS PARA O DIA DAS MÃES




Receitas culinária Ana Maria Braga
SALADA


SALADA VERDE


Mix de alfaces à gosto
Um maço de rúcula cortadinha
Presunto cru defumado
Azeitonas preta
Queijo parmesão quebrado grande
Castanha do pará e Gergelin para finalizar
Azeite Balsámico e Azeite extra virgem para temperar.
Pode acrescentar tomate cereja, figos maduros, cenoura ralada...



MAIONESE


SALADA DE MAIONESE

Batatas;
Cenouras e
Vargem em cubos e cozidos no vapor
Milho vede
Maçãs em cubos com limão e açúcar
Ovos cozidos
Salsa e cebolinha
Maionese, mas não muita.




PS . APRENDI FAZER MAIONESE COM MINHA MÃE, MAS ELA FAZ MELHOR!



CARDÁPIO PARA O DIA DAS MÃES


                     
                  ESPECIALIDADES DA MINHA MÃE!


BOBÓ DE CAMARÃO



PERNIL SUÍNO


BACALHAU


PS. ESTAS SÃO ALGUMAS ESPECIALIDADES DE MINHA MÃE, E ELA NÃO COZINHA COM RECEITAS, PORTANTO FICO DEVENDO.
FICA A SUGESTÃO DE CARDÁPIO.



ROCAMBOLE DE CHOCOLATE E ...





MARACUJÁ

MOUSE DE MARACUJÁ

Uma lata de creme de leite
Uma lata de leite condensado
A mesma medida de polpa de maracujá

Bate bem liquidificador e leve para gelar, fazer na véspera...
Você pode fazer porções individuais e colocar ganache no fundo da taça.


CHOCOLATE

ROCAMBOLE DE CHOCOLATE

Oito ovos, claras e gemas separadas
Oito colheres de sopa de açúcar refinado
Oito colheres de sopa de farinha de trigo
Oito colheres de sopa de chocolate em pó
Duas colheres de sopa de água
Uma colher de sobremesa de essência de baunilha

Bata as claras em neve bem firme, acrescente o açúcar aos poucos, bate até formar bem e junte as gemas, a farinha, o chocolate dissolvido nas duas colheres de água e a essência de baunilha.

Divida em duas assadeiras iguais, asse até soltar dos lados, mas não deixe ressecar. Desenforme numa superfície forrada com um pano úmido polvilhado de açúcar, enrrole e deixe esfriar.

RECHEIO

Uma lata de leite condensado
Um pacote grande de coco ralado grosso
Uma colher de sobremesa de essência de baunilha

Leve ao fogo baixo mexendo sempre, quando ferver bem, recheie os rocamboles e decore a gosto.



SORVETE

Compre sorvete de vários sabores, mas não esqueça o de chocolate, inove nas coberturas, canudos de sorvete, chocolate granulado, amendoim crocante e etc...


PS. SABEMOS QUE O DIA DAS MÃES REÚNE A FAMÍLIA INTEIRA, QUANDO ELA É GRANDE COMO A MINHA TEM MUITAS CRIANÇAS E ELAS ADORAM SORVETES!!


 

segunda-feira, 7 de maio de 2012

DIA DAS MÃES


MEU MOMENTO MÃE... ÚNICO!


Ser mãe, começa como um outono preparando suas sementes para  o explendor que é gerar uma nova vida, numa doação que encerra qualquer compreensão. E assim como a semente do fruto, que é quebrada para que seu coração possa se expor ao sol, é o parto,  um processo natural de perpetuação da éspécie.
Esse, é sem sobra de dúvida um momento em que devemos manter nosso coração maravilhado com o milagre da vida, percebendo que nossa dor não nos parece menos maravilhosa que nossa alegria.
Acolhemos essa vida com serenidade  durante os meses de gestação, mas não sem ansiedade e aflição.
E só neste momento mágico e único,  em que uma nova vida respira sobre nosso corpo, muito mais aflita e insegura que nós, sentindo na segurança do nosso abraço o aconchego à que estava acostumada,  surgindo a maravilhosa e inigualável certeza de termos agora um ao outro.
Nascendo neste instante através de uma troca de olhares, a cumplicidade que emanada do mais terno e profundo amor, estabelecendo uma união suprema e amor incondicional.
Agora somos só nós, mãe e filho(a).
E nos próximos dias começa uma processo doloroso, porque a mão da vida apesar de hábil e pesada, é guiada pela mão suave do indivisível, preservando na criança o entender de ainda serem um só corpo, e na mãe certeza de ser ainda a extensão dela aquele ser pequenino e totalmente dependente. É preciso sabedoria para conduzir essa relação de amor, a aflição teima em manter nosso coração na dúvida da incapacidade.
E no coração de nossos filhos, o desespero do desapego  a que são forçados  aceitar no processo de deixar o invóculo que é nosso útero, que só se reestabelece através da amamentação.
E a mão da natureza nos oferece plenitude e cumplicidade nessa relação mãe e filho(a), que acredito ser nutrida com nossas lágrimas.
As mesmas que nos acompanham até hoje, porque eles são o anelo da vida por si mesma, e essa vida, mora no amanhã, que é construído por seus próprios sonhos.
E assim seguiremos nossa jornada de mãe apenas lhes dando muito amor, porque apesar da nossa angustia, apenas a mão da vida pode dar rumo a suas aspirações.
Mas elegeram para nós um dia especial, em que o filho (a) sendo criança ou adulto, estando perto ou longe, nos presenteia com muito carinho e amor. E no segundo domingo de maio é comemorado como um dia especial:                    

O Dia das Mães       

quarta-feira, 2 de maio de 2012

AMOR DE MÃE




animais
O que uma mãe não faz por amor?


CACHOEIRA EM TORRES




Torres S/C


Nosso Brasil é mesmo surpreendente! Tivemos um dia final de semana de temperaturas baixas no Sul do País. E, fiquei maravilhada com a imagem desse espetáculo! Uma cachoeira congelada, cena rara para nós.