terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

AMOR

QUE AMOOOOR!!
 Como saber quando chegou o amor é um questionamento à ser feito quando nos apaixonamos. Algumas teorias afirmam que a paixão se transforma em amor, mas será? - Quantas vezes  nos vimos enfeitiçados  pelos encantos da paixão, não conseguindo seguir a razão e acaba a paixão

Mas quando o amor se plantar  maior que a paixão,você saberá, e quando ele te chamar siga, e se ele te estender a mão, aceite, mesmo sabendo que os caminhos do amor são áridos.
Quando os braços do teu amor te envolverem, renda-se, mesmo sabendo que essa entrega possa te ferir.
E quando ele te falar ,acredite nele, mesmo que a força dessas palavras possam arrasar com todos os seus sonhos, assim como um vento forte  devasta um jardim. - Por que da mesma forma que o amor nos enaltece ele nos  crucifica, e da mesma forma que podemos crescer no amor,  estamos sucetiveis a poda, com a chance de brotar, como uma planta que podamos no tempo e na medida certa. Devemos apenas ter maturidade de aguardar seu  florescer em nossa primavera de amor.
O amor pode tocar levemente  nossa janela com suavidade de uma brisa fresca que nos acaricia, e se você escuta o permite entrar... Ele nos toma como uma chama ardente a ponto de deixar profundas marcas em nosso corações, e independe de nosso querer a dor que eventualmente provocam.
Mas se procurarmos por um amor sem sofrimento, é melhor ficarmos apenas com a solidão, não podemos ter apenas a paz e os prazeres do amor, senão, não valerá a pena mostrar nossa nudez diante da totalidade de doação que exige o amor.
Se um não for capaz de ceder, o outro não será capaz de seguir adiante.
Sem  amor, poderemos até sorrir, mas não todos os risos e  chorar, mas não todas as as lágrimas.
Quem ama, nada deve esperar além do amor e nada dar além do amor, o amor se basta por se só, nós não podemos exigir  amor, de quem  não  tem amor para nós dar.
Nem devemos tentar dirigir os cursos do amor, apenas viver a  intensidade que o amor exige, porque assim, como a natureza do rio ele próprio será capaz de dirigir seu curso, e nós só seremos capazes de conduzi-lo, para que alcance  sua plenitude.
O desejo, anda de mãos dados com amor, e se procurarmos o amor no desejo; Então que sejam estes os nossos desejos:
De sermos total em nossa entrega, para assim conhecer a ternura em excesso;
De partir, para que em nossa  chegada, possamos nos enxergar no brilho dos olhos do nosso amor;
De sorrir nossas  alegria e chorar nossas lágrimas;
De nos deixar ferir, pela necessidade da compreensão do amor e sangrar de boa vontade;
De adormecer nos braços do nosso amor, para depois acordar com sentimento de plenitude;
E esperar com gratidão por mais uma primavera de amor.






6 comentários:

Vitor Seravalli disse...

Rosário
Também já refleti muito sobre este tema complexo.
Muitas perguntas e poucas respostas. mas como viver sem ele?
Um grande abraço!

http://cronicasdemeusdias.blogspot.com/2009/09/o-amor-paixao.html

Maria do Rosario disse...

É caro poeta,

Bela pergunta! Também acredito não ser possível.

Rosário

Anônimo disse...

Rosário,

O amor é o maestro desta orquestra harmoniosa que encanta nossos corações.
Um belo sentimento.

Rubens

Anônimo disse...

Amiga,

Quem nunca sofreu de amor, nada viveu...
Sou uma eterna apaixonada.

Beijos,

Carly

Maria do Rosario disse...

Rubens,

Que bela forma de ver o amor.

Rosário

Maria do Rosario disse...

É verdade carly,

Temos que viver apaixonadamente!

Rosário