segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

RUA DOIS




Imagem meramente ilustrativa



Sucedeu nesse mês na rua dois.
Foi tão inesperado o que aconteceu,
mas assim foi: de um dia para o outro,
ninguém supõe pálida pedra
tudo que se recolhia lá, era treva,
silêncios tão escuros
que até vendavam os olhos das ruas,
mas entre a rua um e a rua três
se deu por descontrolado o labirinto,
sem mais saída e advertência prévia
de rua em rua se muda a vida.
E se alguém duvida
peço à quem a correspondência examina
porque se o vento leva o verão
a rua nunca muda!



PS. Citações do livro: PRESENTE DE UM POETA (Pablo Neruda)





Nenhum comentário: