sábado, 8 de outubro de 2011

ASTUCIA

O lavabo do salão

Minha avó Lica era muito astuciosa, não tinha água encanada em sua casa do sítio bananeiras, ela mandou construir um tanque no teto e instalar uma torneira, a água corrente caia na bacia e era trocada.
Aprovada a ideia ela repetiu também na copa, junto a um balcão de madeira e com a bacia de alumínio apoiada numa manilha grande.
Minha memória hoje é da farra que fazíamos com muita água e sabão quando ela permitia lavar-mos apenas as colheres e os canecos de plásticos de tomar-mos leite quente.
Nós adorávamos porque só nas férias todos os primos se reuniam por tanto tempo e onde tem muita criança tem bagunça.


MEXENDO NO BAÚ

O baú de guardar roupas


Gente hoje estou nostálgica, mas vejam esse baú de guardar roupas de cama, mesa e banho, aquelas de linho e cambraia borbadas à mão, que depois de engomadas eram guardadas em baús que ficavam nos quartos. Quando as filhas começavam ficavam noivas as atenções eram voltadas para os preparativos do enxoval da noiva e depois do casamento junto a gravidez o enxoval do bebê, era tudo feito com muito capricho e carinho.
Os da casa de vovó Lica eram Portugueses, dentro deles vieram os pertences da família para o Brasil nos porões do Navio atracado no Porto de Recife/PE.

ESCRITÓRIO

Preciosidades

Nostalgia é pouco, eu diria o que está retratado nesta foto são pequenas relíquias herdadas por aqueles que um dia tiveram o cuidado e carinho necessário para preservar.
Olhando para ela agora chego sentir o cheiro do escritório do vovô Severino, a colônia pós barba misturado ao cheiro do cigarro, que ele não fumava dentro de casa mas mesmo assim o cheiro estava sempre com ele.
Lembro de quantas folhas de papel eu gastei tentando escrever na máquina de datilografia prendendo as teclas ou deixando a fita passar, de quando o grampo ficou preso em minha mão por ter batido no lado contrário, ficar com dedo dormente de tanto fazer círculo com o compasso e rabiscar no risque rabisque, nossa! Eu desenhava muito aquelas paisagens clássicas com casinhas numeradas, janela com cortina, telhado, chaminé, jardim, uns patinhos no lago, montanhas, nuvens e um sol enorme. Ah! e recortar cortiça para colar numa madeirinha para fazer mine carimbos. Depois pintar a barra do vestido e levar bronca.
Passávamos tardes inteiras juntos, ele trabalhando e eu aprendendo trabalhar. Pena que não guardamos nossas preciosidades, dessa época só tenho memórias.
O telefone preto com disco e pesando, a máquina fotográfica que ,ais parecia um acordeon. (sanfona)
Tanto que já adulta eu lembrava muito dele quando papai grampeava a camisa no bolso ou onde caía um botão, só para irritar minha mãe, que falava: Você faz assim e as pessoas vão achar que sou uma mulher que não cuida do marido!

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

CONFLITO



CARMA

                                           

Carma é uma palavra sâncrica que significa "Ação" .
Designa uma força ativa, significando que o resultado dos
acontecimentos futuros pode ser influenciados por nossas ações.

 (Dalai-Lama)



Isso só aumenta meu conflito

domingo, 2 de outubro de 2011

DIA DE SOL

Dunas de Marapeh



Jequié da Praia


Lagoa da Canoa


PS. RECANTOS PARADISÍACOS POR ALAGOAS

EXTEMPORÂNEO AMOR

Ele não é menor na intensidade!


Havia uma atração física incomparável
eles sabiam porque estavam experimentando
no estado de graça, via-se a profunda beleza
que de súbito se torna real e indizível
mãos frementes e firmes
explorando corpos sem pudor
era o mais próximo de dois seres humanos
e o prazer era de por fim se abrir
e deixar escorrer sem avareza o vazio pleno
 de súbito o sobressalto do desejo
estavam agora abrindo seus corações
 novamente a entrega se fez
 de pronto o inevitável e múltiplo gozo
enebriados e eternecidos  o gastaram
 em nome de um homem e de uma mulher
ela nunca fora humilde no amor
mas por deslumbramento se tornara
beijando-o tão demoradamente, que
quando puderam se deslocar um do outro
 os olhos denunciavam ainda mais desejo
sentiam agora o perigo da entrega total
por medo da própria grandeza
 isso não é aplicável ao amor
nem a pessoa amada é capaz de receber tanto
pois na última vez ele a tratara com uma delicadeza
e um bom senso que não bastava
já que haviam esperado tanto tempo.
Assim a voracidade da urgência
se fez austera e silenciosa.



(Rosário Lyra)